15.4.15

Declaração de Amor Incondicional (ou para Lala)



Filha



Hoje é um daqueles dias que dá vontade de jogar tudo para o ar e sair vagando por aí sem rumo. Mas, sabe em outros tempos eu teria tomado essa atitude intempestiva sem olhar para trás, porém agora eu tenho você. Acho que já te disse isso, se não falei ainda, saiba que você é o sentido para seguir sempre adiante. Você é a minha força, mesmo sendo bem menor do que eu. Você marcou um começo e anos depois um ‘re-começo’ da minha vida.

Não importa o quanto você trabalhe, o quanto seja bela, quantos amigos tenha, quantas roupas e livros legais você possua, chega uma hora que nada disso parece bastar. Você preencheu um vazio que vinha se alastrando dentro de mim e ficando cada vez maior. Se antes havia o nada, ele foi tomado por sentimentos que nem eu imaginava existir quando eu vi você.

Eu sei que sou bem imperfeita, que às vezes não pareço a melhor mãe do mundo, que sou falha, um tanto desligada e em algumas situações até fria, mas entenda que isso não significa que eu não gosto ou estou contrariada com você. És a parte mais maravilhosa de mim e te ver assim tão parecida comigo, com meus traços e temperamentos, eu te confesso que assusta.

Por você eu me tornei uma mulher independente e destemida. Eu perdi o medo de baratas, aranhas e centopeias. Eu descobri que carinho, beijos, abraços e cosquinhas são remédios pra todo tipo de dor ou problema. Aprendi que o melhor lugar do mundo pra você dormir é nos meus braços ou de conchinha comigo. Que de todas as coisas que possam me fazer sorrir nesse mundo suas peripécias, suas descobertas sempre estarão em primeiro lugar; saiba que as minhas gargalhadas, aquelas de chorar e ficar sem fôlego acontecem sempre com você.

Eu adoro você gostar das mesmas músicas que eu, principalmente Legião Urbana. Adoro ver você me acompanhar nas minhas dancinhas malucas, um tanto destrambelhadas no meio da casa ( e mais ainda te ver sorrir muito com uma coisa tão simples). Adoro saber que se comer pipoca, batata-frita ou pizza (mesmo isso não sendo muito saudável) você come junto e ainda pede mais maionese para acompanhar. Adoro quando você assiste filme comigo e esconde a cara no meu peito quando não quer ver uma cena que não gosta, tipo quando a Bela Adormecida vai furar o dedo na agulha de fiar. Adoro quando você se enche de orgulho, mesmo não sabendo o que isso e diz ‘É a minha mãe’, você acaba comigo moleca! Derrete meu coração e faz que eu fique tirando ciscos dos meus olhos. Adoro ver suas imitações, seja da professora da escola ou até mesmo minha te dando bronca.

Eu sei que às vezes reclamo da bagunça do quarto, de você não querer feijão, de viver pulando e caindo, mas te conto um segredo: eu era assim. Eu não comia verdura e só fui fazer isso depois de grande e de muito puxão de orelha. Quase na sua idade eu pulava de cima da geladeira porque eu queria ser a Sheerra (um dia eu te mostro quem era ela na internet). Sobre cair e levantar, nossa eu tinha um imã pra isso, na verdade eu só fui parar de viver tropeçando quando fiquei grávida de você porque eu morria de medo de cair sobre a minha barriga (você tava lá dentro ainda).

E filha eu posso lidar muito bem com as palavras, mas pequena falar de você ,bom... eu só posso definir como um misto de sentimentos meio complexos e grandiosos de descrever. É isso! E ah!!! Eu te amo de um tantão maior que o universo!!!!


P.S: Eu não esqueci da sua camisa do Capitão América.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...