10.5.11

Do lado de lá

Não sei porque adoro começar meus posts com 'de repente'. Talvez seja porque tudo na vida inicia com um 'de repente'. Num segundo seu mundo deu um giro de 360º graus, sofreu um terremoto no último nível da escala Richter, um tsunami, uma bomba atômica de muitas coisas ao mesmo tempo.
Agora é maio. Dois dias atrás vivi meu primeiro domingo das mães. Três semanas antes descobri que estava grávida e dentro de alguns meses estarei do 'lado de lá'.
Planejamos tanta coisa e quase sempre saí tudo ao contrário. Às vezes é bom, às vezes imprevísivel, às vezes uma grande equívoco, uma brincadeira travessa do destino. Dançamos conforme a música.

Nesses primeiros dias do "lado de lá" fiquei surpresa com a quantidade de mulheres que queriam estar vivendo o momento pessoal que vivencio. Pessoas cujas quais nem poderia imaginar que sonham em ser mãe, que não acreditam em príncipe encantado, mas almejam um grande amor, uma família feliz.

Se notei esse carinho mútuo, em contrapartida me decepcionei por ver que muitos deixam de te avaliar como uma profissional e passam a te definir como um problema pelo simples fato de estar grávida. Alguns declararam estar com pena de mim.

Ser mãe é um momento mágico. Não é clichê. Durante nove meses não é só a barriga que cresce, são suas expectativas, anseios e esperanças. Uma gravidez não é somente uma nova vida que é gerada. Essa é uma frase de sentido duplo. São mudanças. São a certeza de que você é capaz e no meu caso a prova de mesmo em meio a uma crise Deus aponta uma benção no caminho.

Hoje estou aqui em frente a esse computador escrevendo palavras soltas. Gostaria de estar trabalhando e apesar de muitos dizerem para desistir, vou persistir e fazer valer todo o meu esforço ao longo da minha trajetória profissional. Quem acompanha esse blog sabe das conquistas que obtive nos meus quase 6 anos de jornalista. Eu não vou parar. É apenas o começo.

"Quando me sinto mais fraca é que fico mais forte"

Aos amigos ... Obrigada pelo apoio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...