18.1.11

O medo dele

De repente tinha medo que acordasse e ela não estivesse mais ali. Que não estivesse ao seu lado na cama. Que tivesse abandonado os lençóis floridos com aqueles detalhes que ele tentava entender nas noites de insônia e onde ela repousava tranqüila e absoluta.

Tinha medo que ela não estivesse ao seu lado no sofá. Na mesa da cozinha. Na mesa do restaurante. No banco do passageiro no carro. No assento do cinema. Do teatro. Deitada no capim no parque público. Sentada na areia da praia, espreguiçada na cadeira colorida que ele ganhou da mãe justamente para essas ocasiões.

Tinha medo que ela não estivesse ao seu lado no dia do resultado daquela importante decisão. Na noite de chuva forte, pois apesar de ser homem temia raios e trovões desde o dia em que o telhado do seu quarto desabou quando ele era criança. São coisas que acontecem e que às vezes ficam.

Tinha medo que ela não estivesse ao seu lado no dia do “Sim”. Naquela viagem que planejaram tanto tempo. No show do Pink Floyd. No aniversário do melhor amigo. Na chegada da sua mãe. No passeio com Tobias, o dálmata dos dois. Na hora que o neném chorasse porque a fralda precisava ser trocada, ele sabia trocar, porém ela tinha mais jeito.

Tinha medo...

Aproximou-se dela. Viu os cabelos pretos no rosto de boneca. Ficou observando o ir e vir daquela respiração suave. Beijou de leve as bochechas brancas. Pousou a cabeça no espaço entre o ombro e a cabeça dela. Ela ainda estava ali.Todas as insinuações tinham sido um pesadelo ruim.

Dormiu ...


Corbis Imagens

***


Cheguei a tempo de te ver acordar
Eu vim correndo à frente do sol
Abri a porta e antes de entrar
Revi a vida inteira
Pensei em tudo que é possível falar
Que sirva apenas para nós dois
Sinais de bem, desejos vitais
Pequenos fragmentos de luz
Falar da cor dos temporais
Do céu azul, das flores de abril
Pensar além do bem e do mal
Lembrar de coisas que ninguém viu
O mundo lá sempre a rodar
E em cima dele tudo vale ...


(Quem sabe isso quer dizer amor - Milton Nascimento)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...