10.11.10

Aprenda a ser feliz no amor

 Para minhas amigas que ainda sonham com um grande amor...


De repente nenhuma das minhas teorias prontas me valeu. Cada amor é um novo amor. E cada novo relacionamento é um aprendizado do zero. Na verdade tenho medo de no fundo não saber nada. De agir desconcertada. De me perder no turbilhão de palavras, sempre me enrolo no fim. Tento fazer bonito e me perco entre as pernas. E depois acabo falando coisas que não tem nada a ver. Ainda bem que às vezes dá para consertar.

Todo novo amor vem com uma certa insegurança. Se está bom demais dá medo de perder. A questão é se controlar e ser feliz. Cada pessoa trás um aprendizado consigo. As marcas da vida não são para serem apontadas, exploradas como fazem as crianças diante de uma coisa nova. São para serem deixadas lá. É parte de cada um. Vão sempre está presentes. Melhor mesmo e transformar tudo ao redor. Dar um novo colorido. Traçar novos rumos. Não vale ligar para tudo o que falam. As intrigas tendem a prevalecer sobre os elogios, quase sempre é assim. A oposição é ferrenha quando vê que alguém fugiu do mundinho fechado da incerteza. E se tiver decepções, se já tiver perdido tempo com elas, se já tiver escrito coisas que no final das contas se mostraram inúteis e não valeram a junção das palavras a quem foram destinadas, lembre-se que a vida corre.As coisas correm e até mesmo os desamores somem da lembrança. O que não dá é pra se apegar ao passado e transformar todo o futuro em um museu. Em outros aspectos da sobrevivência reaja!

Tudo o que é démodé demais, certo demais, tranqüilo por demais é enfadonho. Nada é mais certeiro do que levantar e sacudir a poeira. Pule. Grite e vibre. Há muito mais do que se imagina. Acima de tudo não se deixe desanimar. Existem dias tristes, mas se passar a ser uma semana inteira, não está certo. Se você acha que ninguém te ama. Se ame. Quem mais poderia entender você, se não você mesmo? Temos multifaces escondidas dentro de cada um de nós. De uma delas você deve sentir saudade. Por isso não tenha receio de rir de você mesmo.

E se o amor for embora... paciência quem sabe ele volte outra hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...