21.9.10

Ao desconhecido

A vida é feita de diversos reencontros e acho que tem sido assim conosco. Cada ausência é marcada por uma nova vez que te conheci. Estranho não? Talvez seja esse o diferencial desse contato breve, leve e significante. Trocamos idéias, pensamentos, falamos da vida, do passado, do futuro, de cachorros e tantas outras coisas. É diferente.

Nosso contato não tem haver com tato, mas com ouvir e ensinar. Cada nova reviravolta da vida é uma grande aventura em ambas as mãos. As coisas passam e nem mesma a ausência forçada, ditada, muda muita coisa entre mim e você. Até mesmo os passarinhos em algum momento sentem a necessidade de voar sozinhos para depois retornar ao convívio dos seus. Conosco também é assim.

Não vale aqui defini-lo como alguém especial. Isso é clichê que nada define no fim. Diria que você é um sujeito único, fora do comum, específico e reservado. Tá confesso que peguei todas essas definições no Dicionário Aurélio, mas foi o melhor que pude fazer. Brincadeira. Duas palavras... Obrigada amigo.

Um comentário:

  1. Digamos que o termo "amigo" ainda é um tanto obtuso, prefiro sempre ser o "desconhecido" se encaixa perfeitamente ao meu perfil.

    ResponderExcluir

Poucas palavras ...