14.8.10

Estranho

O estranho caminha de mãos dadas com seu novo amor.

Sorri.

Conversa.

Beija.

A vida corre.

O estranho esqueceu ...

Os abraços.

Os carinhos.

As confidências.

As mentiras.

Os trejeitos.

Os segredos.

Aquele jeito dela de tentar ser engraçada.

Os planos de montar uma empresa.

Comprar um carro.

Ter filhos.

Viajar pelo mundo.

De pintar um quadro.

Promover um projeto social.

Adotar um órfão.

Foto: Carlos Matos

Criar um cachorro, um gato, um porco, um carneiro, um coelho.

Fotografar passarinhos, jacarés, pessoas, flores, um palhaço, um menino.

Assistir um filme clássico, uma comédia romântica, uma obra qualquer.

Esqueceu de ensiná-la ...

A dançar tango.

Preparar uma lasanha.

Um mouse de chocolate.

De lhe mostrar como entender a poesia das palavras.

A rítmica dos belos sons.

A tocar guitarra.

Há ouvir um pouco mais.

A entender sua essência.

Esqueceu que no fundo ela era só uma menina indefesa que queria parecer forte.

Que tinha medo do escuro.

De ser raptada de repente.

De perder todo mundo.

De ficar sozinha.

De não ser mais quem queria ser.

O estranho a esqueceu.

O estranho caminha de mãos dadas com seu novo amor... Porque amores inesperados, imperfeitos e incompreendidos como o que ele tinha por ela um dia também chegam ao fim e morrem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...