16.3.10

Não se fazem mais homens como antigamente ...

No final de semana abriram a porta do carro para mim...

a maçaneta tava quebrada...

Às vezes tenho receio de levar uma pedrada na rua. Explico. Me disseram que meu lado feminista anda aflorando nas postagens do blog. Os homens viraram meu alvo de ataque seja nas crônicas ou comentários indiretos. Claro que isso é uma enorme blasfêmia! Adoro todos! Os sarados, os baixinhos, os peludos, os magrelos, os morenos, os loiros.Melhor mesmo é não entrar em detalhes. O fato é que escrever sobre o sexo oposto é uma maravilha! Rende pano para manga, botões, gravata.

Particularidades a parte, se pudesse dizer algo direto, uma opinião mais do que pessoal(atenção meu caro amigo, essa é pra você que lê o blog), só diria aos seres de barba e pêlos, toque de amiga 'Um pouquinho de gentileza por favor!'.

Estaria eu variando a essa altura da noite? dissertando uma filosofia sem pé nem cabeça esteriotipada de homem perfeito?Aliás outro dia disparei essa para um amigo ao telefone, uma definição de um indivíduo perfeito para mim: aquele que saiba fazer massagem e cozinhar. Têm algo melhor do que sentir seu corpo relaxando sobre o toque de mãos? ou ainda sentir o paladar aguçar pelo cheiro de uma boa comida? eu sei que tem! mas claro não vou falar isso aqui abertamente, você que lê subentenda e fim de papo!

Mas voltando ao 'não se fazem mais homens como antigamente'... Sometimes ... adoraria receber flores. Custa enviar flores? Tudo bem que o buquê de rosas está o olho da cara (aproximadamente R$50, meia dúzia), no entanto ... nem tudo está acabado! Existem as lojas alternativas, aquelas que já vendem um vasinho com uma bela plantinha dentro. Quem ganha além de abrir um sorrisão ainda ajuda na preservação do planeta. Tudo bem deve ter alguém malicioso sugerindo as prantinhas de prástico, convenhamos é cafona! Ficam lindas nos consultórios médicos, na casa daquela tia cinquentona, no quarto da Creide, mas não! por favor não! não substitua as rosas naturais, elas são belíssimas, além de românticas.

Ta aí outro ponto! Que tal um pouco mais de romantismo? Claro que não estou sugerindo a volta das velhas serenatas (sempre sonhei em namorar alguém que tocasse violão e um dia cantasse e fizesse um showzinho particular para mim, que ilusão! já passou, já passou...) Me refiro a sensibilidade de dizer 'Eu Te Amo' e não a de um 'Eu também'. Essa é uma das saídas pela tangente mais ordinárias que alguém inventou (se pego esse sujeito, juro que daria ... ops! sem violência). Explicação rápida, óbvia e clara. Imagine a cena... Mentalize... A mulher toda sorridente chega para o marido/namorado/ companheiro...

- Querido, EU TE AMO!

Ele a encara e adivinha o que dispara?

- Eu também!

Respondendo o inofensivo 'eu também' , ele se livra do compromisso. 'Eu também' lá é resposta e ainda por cima romântica? Um dia quando todo sentimento acabar (pode ser na presença de dois advogados, o dele e o dela durante a divisão de bens) eis o efeito da resposta estupidamente brilhante e mirabolante...

- Cê tá é louca! Eu nunca disse que Te Amo. Cê tem como prova isso? Não tem né? Saí pra lá! Só está querendo meu dinheiro. Eu sabia!

Quanto Romantismo!!!

Romeu, Romeu cadê você?

Agora entro numa parte mais delicada, vamos falar de amor (esquece o Romeu aí de cima foi só para introduzir o parágrafo). Será que os homens se apaixonam? Será que choram? Eu adoraria ver um homem chorando! (isso pareceu meio sadomasoquista, foi mal ... prometo me controlar). Aquelas criaturas grandes, viris, másculas, se derretendo que nem criança. Que lindo!

Aff! que falta faz um homem como antigamente...

... que falta faz uma mulher como antigamente ... aquela que lavava, cozinhava e ainda não reclamava de nada... (me responde um desnaturado no msn)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...