17.8.09

Reflexão 2.2


Sempre que se aproxima a época do meu aniversário me ponho a pensar nas dezenas de coisas que deixei de fazer no último ano.

Costumo dizer que os dias que antecedem a data são tomados por tudo aquilo que poderia ter sido feito e não foi. Reflexões...


Sei que isso é meio que chorar sobre o leite derramado, mas fazer o quê?


De tudo o que ficou posso afirmar que fui mais feliz se comparado a períodos anteriores.

Acho que a felicidade é gradativa e cresce a cada nova primavera.


Tive momentos de solidão também. Enganam-se os que pensam que quem trabalha na mídia não se sente sozinho. Já me senti abandonada em meio à multidão.

O ano que passou foi de superação. Dos males que vieram para o bem, como a minha cirurgia surpresa (hoje penso que se não tivesse saído da rotina estaria louca ou deprimida). Descobri que era muralha inabalável construída em base de isopor.

Tentei descobrir um novo amor , mas acabei me conformando com algumas paixões.
Sofri, mas também fui muito feliz enquanto durou. No fundo ainda espero pelo meu príncipe encantado que ao que tudo indica deixou o cavalo para vir de canoa.

Tive avanços memoráveis na minha carreira. Matérias publicadas em esfera nacional. A mamãe passou a ler meu blog. Meu irmão indicou para os amigos. E quanto ao meu pai... bom esse ainda não se rendeu aos meu textos.

Conheci gente. Muita gente! Apesar dos autos e baixos continuo amando o jornalismo.


Mudei meu visual diversas vezes. Fui loira, ruiva, morena. Engordei!E hoje estou um pouco cheinha, mas muito bem obrigada.

De tudo posso dizer que chego aos 2.2 com a certeza de que a vida me ensina uma lição a cada manhã que abandono meu travesseiro.




P.S: Nesta terça-feira (18) minha lagoa da vida ganha mais um patinho, vão formar um casal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...