20.5.09

Mulher Independente


Neném,



Aliás, nem sei por que te chamo assim. Ah! Foi você que começou com isso e eu dei corda. Lembrei agora. Continuando....

Meu neném.

Quando você acordar (isso pelo jeito vai demorar depois da noite de ontem) eu estarei bem longe daí. Talvez até com outra pessoa (não vem ao caso agora. Vai depender se ele cair na minha cantada), quem sabe fique um tempo sozinha. Ainda vou decidir. Posso até estar em outra cidade, mas lembrei que estou sem grana, vou ficar por aqui mesmo. O fato é que ACABOU! A partir de agora você é um moço livre e desimpedido.

Tentei te dizer isso antes, mas não deu.

Na semana passada quando você me convidou para ir a sua casa, até me preparei. Lembra que eu estava gaguejando e quando você me questionou o que eu tinha eu falei que estava com frio? Pois é, era nervoso. A festa surpresa para a sua tia me deixou mais sem reação ainda. Pensei que ficaríamos a sós! Mas, sua família inteira estava lá. Pior foi sua tia perguntando de quantos meses eu estava grávida e pegando na minha barriga. Será que estou tão gorda assim? Vou procurar uma academia. Ah! têm mais ... e os questionamentos sobre o casamento? Todo um mundo querendo nós casar. De duas uma ou é eu ou é você que está encalhado. Mas deixa isso pra lá.

No outro dia tentei te falar de novo quando estávamos dentro do carro. Quando eu abri a boca todo mundo começou a buzinar ao mesmo tempo. Ninguém sabe esperar o leso de um motorista sair do lugar? Precisa fazer aquela zoada toda? Resultado: Você ficou gritando ‘O quê?’ e não entendeu nada.

A outra vez foi no jantar, na quarta-feira à noite. Tomei coragem, respirei fundo e você me deu o buquê de rosas. Aí eu me derreti toda... Foi golpe baixo da sua parte! Eu adorei!!! Não tive coragem de te contrariar.

Na quinta você saiu para beber com os amigos. Aquele bando de malas! Francamente você deveria escolher melhor suas amizades, mas os critérios são seus. Vai ver ficar pulando, tentando beijar a boca do outro é divertido. Isso é meio gay, mas de gay você não tem nada, vamos considerar. As chances de conversar com você foram por água abaixo quando você chegou bêbado em casa. Seria em vão, já que no dia seguinte você poderia alegar amnésia.

Ontem estava determinada, porém veio à noite a dois. O ar romântico. O striptease. Meu Deus! O que era aquela cueca de oncinha? De onde você tirou essa idéia estapafúrdia? Neném foi à coisa mais ridícula que eu já vi em toda a minha vida! Por isso que te despi logo antes que caísse na gargalhada. Confesso que me segurei. E você tentando imitar o Raj da novela? O que foi aquilo? Você dançando mais parecia um daqueles bonecos infláveis de posto de gasolina. Um horror!!!

Não tenho nada contra você. Pelo contrário você foi o meu namorado mais gostosinho, mas essas nossas diferenças ....

Essa de ‘os opostos se atraí’ é maior fachada. Tem outra. Muitas vezes eu me sinto sua mãe. Nada contra as mães, mas você sabe ... criança uma hora enche. Não estou falando mal de você. Baby você é uma fofura, mas agora eu estou em outra. Vou curtir minha independência. Essa de ‘a mulher é minha’, mulher objeto, não é pra mim.

Já ia esquecendo se você pegar aquela loira do 301 eu prometo que vou te encher de porrada. Entendeu?

Eu te amei, muito, muito nesses 6 meses de namoro que pra mim foram uma eternidade. Espero que não fique com raiva de mim. Qualquer hora dessas, a gente pode se encontrar. Quem sabe até não rola um flasback? Não? Então tá. Melhor não arriscar. É isso.

Agora vou seguir meu rumo.

Com carinho ...


Da sua Tchutchuca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...