13.2.09

A menina no banco de reservas

Não.
Não fui a jogadora mais ativa da escola.
Aquela venerada pela torcida, a que jogava bem e que todo mundo queria no seu time.
Sempre ficava no banco ou ainda só entrava em quadra quando a melhor equipe queria descansar.
Eu até gostava de Vôlei, mas levei tanta bolada que vi que não era pra mim.
Tentei Futsal, levei canelada, fui empurrada e cai.
No Basquete nem toquei na bola, meus braços não alcançavam as girafas e me sentia uma anãzinha correndo pra lá e pra cá.
Na corrida sempre chegava entre aqueles que se arrastavam para alcançar a linha de chegada (às vezes nem isso, ficava ali pelo meio do caminho mesmo).
Em contrapartida minha performace valia muitas risadas para quem acompanhava o meu desempenho.
Quem detestava isso era um ex. Bom de bola, o bam-bam-bam do time tinha que ouvir as piadinhas.
'- Pô vê se ensina essa tua namorada a jogar. Ela é muito ruim. Coitada das meninas.'
Uma vez ele cansou e me deu um toque.
'-Amor faz um favor pra mim? Não jogue! É melhor. Você não vai se machucar e também não vai machucar as meninas do outro time. Tá bom?'
Quanta franqueza.
Percebi que algumas pessoas nascem para o esporte e outras não, o que era meu caso.
Prefiro as palavras ...

2 comentários:

  1. Eu tbm fui assim, péssima nos esportes...

    Achei que era só eu.

    E tbm escolhi as palavras.

    ResponderExcluir
  2. Eu tbm era assim péssima em esportes...

    Achei que era só eu.

    E tbm escolhi as palavras.

    Adorei seu blog.

    ResponderExcluir

Poucas palavras ...