1.11.08

A aranha na sala

Que eu tenho medo de aranha isso não é nenhuma novidade, outro dia mesmo travei uma batalha ferrenha com uma que apareceu no meu banheiro.

Pensei que tudo estava acabado, que essa era derradeira, mas ledo engano.

Sexta-feira à noite. Globo Repórter, anãozinhos, gigantes, crescimento e eu tranqüila esparramada no sofá da sala.

- Mãe pelo Amor de Deus vêm pra casa agora !!!

- O que foi menina, ta passando mal?

- Não mãe, mas vêm embora agora, por favor, por favor.

- Por quê? Questionou ela .

- Têm uma aranha enorme no meio da sala, bem grandona, do tamanho de uma mão e está andando pra lá e pra cá.

- Dannie eu não acredito que você me ligou porque você está com medo de uma aranha!!!

- Mãe, por favor, ela é enormeeeeeeeeeeee.Por favor, por favor. Você sabe que tenho medo de aranha. Estou paralisada aqui em cima do sofá.

- Fala sério filha! Cuidado para ela não devorar. Anda mata logo essa aranha!

- Eu não.

- Tá todo mundo rindo de ti aqui sua bobona. (Mamãe estava no hospital, aguardando minha prima que tinha ido ganhar neném)

- Mas mãeeee ...

- Dannie!!! Mata a aranha!

- Eu vou ficar aqui nesse estofado até a senhora chegar. Não vou dar um passo. Tá todo mundo dormindo na rua e vou deixar a casa aberta até a senhora aparecer. Eu que não sou doida de fechar a porta e a aranha pular em mim.

- Então fica aí com a aranha.

Fez uma pausa.

- Tá bom eu já estou chegando. Tomara que ela não pule em você antes que eu apareça. Disse ela sorrindo.

- Estou te esperando. Te Amo tá.

Fiquei ali parada. Eu olhando para a aranha e ela me olhando.

De repente o aracnídeo se mexe. Começa a caminhar lentamente ... em direção a uma formiga que dá bobeira e passa do lado da aranha justamente na hora em que ela está com fome.

Aproveitei a distração do inimigo e fugi para a cozinha.

Pensei numa estratégia.

‘ – Já sei, eu coloco o Russo (o meu cachorro) dentro de casa, mando ele comer a aranha e resolvo o problema. Mas espera aí ... e se ela picar o Russo?’

Descartada a idéia maravilhosa, acabei me convencendo que o melhor mesmo era encarar a aranha. Peguei uma vassoura e um rodo e parti para o ataque.

No entanto a aranha percebendo que não tinha futuro comigo escafedeu-se , fugiu, bateu em retirada.

Melhor pra mim.

P.S: Até o presente momento, a aranha não voltou, para a sorte dela já que a Dona Cecília (minha babá) está em casa e não tem medo de aranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...