3.1.13

Cronicar: Aqueles amores que acabam

Por Dannie Oliveira

Nunca acreditou em amor eterno. 
Pregava Vinícius aos quatro ventos e para ela foi eterno enquanto durou. 
Juntou aqueles quatro panos de bunda na velha mochila (aquela das viagens inesperadas e de outros carnavais). 
Forçou um batom desbotado, um dos últimos que ficou sobre a cômoda quando a vaidade foi embora.
Casamento tem disso. 
Ás vezes te joga pra cima, ou te puxa para baixo. 
E mesmo que acreditasse que tudo tem um fim nem ela entendia porque tinha se metido naquilo. 
Logo ela. 
Logo ela. 
Antes de sair ficou ali, parada no vão da porta. 
Faltava alguma coisa para deixar pra trás. 
Talvez as mágoas das coisas que não deram certo. 
Preferiu fechar aquele  mundo com uma última gargalhada. 
E se foi.
Tirinha: Um sábado qualquer / Carlos Ruas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...