27.5.09

É isso que a vida tem de melhor *

Sabe o que é legal na vida de jornalista? As situações inusitadas que você passa em decorrência da carreira que escolheu.

Ontem depois de fechar a primeira parte da promoção ‘ O que a TV Tapajós tem a ver com você’ recebi a missão de localizar a ganhadora.

Até aí tudo bem.

Liguei para o número de contato que estava na carta e acertei os detalhes.

Menos de 10 minutos depois recebi a missão de ir buscá-la, detalhe: a mulher morava num ramal na zona rural de Santarém. Lá fui eu às 11h00, juntamente com o cinegrafist
a Américo (foto) e o filho da vencedora.

Pense num lugar longeeeeeeeeeeeee.

A aventura começou na estrada.
O carro em que estávamos quase vira num trecho.


Eu juro que passei no atoleiro rezando com as unhas cravadas no banco.

Depois os buracos e o chão liso.

Se tivéssemos ido de jipe teria sido muito mais confortável. Fora que num deslize meu eu quase pego um banho de lama pela janela.

Por causa do calor, minha postura arrumadinha foi deixada de lado, não tinha como ficar de blazzer e sandália.

Cheguei no destino final às 12h30, o sol estava de rachar.
O jeito foi se abrigar no pátio da casa.

Dona Maria Marlinete foi super simpática conoscou e nos deu até um lanchinho (ovo de galinha caipira).

No retorno o Américo decidiu que íamos filmar o nosso ‘rally’ .

Como não dava para dirigir e segurar a câmera, eu tive que filmar.
Não dou certeza nenhuma que as imagens prestaram, já que no trecho crítico o carro ficou de lado, logo a filmagem também.

Dei Graças à Deus quando voltamos a Santarém/Curuá-una. ‘Santo asfalto’. Seria ótimo se todas as estradas e vicinais do município fossem asfaltadas.

Quem mora nessas comunidades interioranas sofre deveras. Sair delas é um drama. Sinceramente me senti indo para a localidade dos esquecidos.

O bom é que no final deu tudo certo. A vencedora ganhou sua televisão e agora vai poder assistir sua novelinha tranquila.

No meio do caminho ... tinha um atoleiro.

* Jargão de Jim Carrey no filme 'Todo Poderoso'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...