5.1.09

A força que nunca acaba


Já se pode ver ao longe

A senhora com a lata na cabeça

Equilibrando a lata vesga

Mais do que o corpo dita

O que faz e equilíbrio cego

A lata não mostra

O corpo que entorta

Pra lata ficar reta

Pra cada braço uma força

De força não geme uma nota

A lata só cerca, não leva

A água na estrada morta

E a força nunca seca

Pra água que é tão pouca



Vanessa da Mata

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...