13.12.08

O ditado do vovô

Meu finado avô (que está lá no céu ao lado de Deus) tinha um ditado bem original para toda é qualquer situação de adversidade. Mesmo que já façam quase 8 anos que estamos sem ele, vez o outra alguém da família dispara a velha e conhecida frase.

Por ocasião da Caminhada de Fé com Maria há umas duas semanas atrás, eis que um romeiro que conheceu vovô apareceu lá pela casa da vovó, e nisso começou a contar várias histórias que tinha ouvido do velho João entre elas a do 'pior seria se pior fosse".

"Um padre de umas dessas cidadezinhas do interior do Ceará a todo e qualquer fiel que aparecesse na sua paróquia para se lamentar de algo sempre dava a mesma resposta...

- Meu filho pior seria se pior fosse.

Certo dia um dos fiéis entrou desesperado na igreja.

- Padre meu filho caiu de cima de árvore e quebrou o braço. Disse o homem agoniado.

No que o padre respondeu:

- Meu filho ... pior seria ser pior fosse.

O homem inconsolado pela resposta insistiu ainda.

- Padre o senhor não está entendo!!! Meu filho caiu de cima de uma árvore e quebrou o braço!!!!

- Eu estou entendendo sim meu filho, eu não sou surdo.

-Então porquê o senhor não parece nem um pouco comovido com o que estou lhe contando?

O padre colocou a mão no ombro do homem e falou:

- Pense comigo ... não seria pior se seu filho tivesse caído da árvore e morrido? Então? Pior seria se pior fosse. Vá em paz meu filho.

O homem não se conformou com o descaso do sacerdote e prometeu para si mesmo que daria uma lição no padre metido a besta.

E lá foi ele pensar numa vingança.

Dias depois o homem entra na igreja todo lambuzado de uma tinta vermelha que mais parece sangue e um facão na mão.

O padre ao vê-lo levou um susto.

- Meu Deus do céu filho o que foi isso??? O que se sucede homem? Que sangue é esse no seu corpo?

Com um olhar ameaçador o homem disparou:

- Padre matei meu pai para ficar com a minha mãe.

O sacerdote balançou a cabeça, olhou para o chão e voltou o olhar para o cidadão a sua frente.

- O senhor não vai dizer nada?

- Meu filho ... pior seria se pior fosse!!!

O homem indignado, p... de raiva respondeu:

- Padre eu não acredito !!!! Eu matei meu pai pra ficar com a minha mãe e o senhor não me diz nada!!! Só pior seria se pior fosse!!!

No que calmamente o sacerdote respondeu.

- Meu filho ... pense comigo ... pior seria... se você tivesse matado sua mãe para ficar com seu pai.

Um comentário:

  1. Eu sei que sou suspeita pra comentar (escrever um testamento rsrsrsrs) sobre a índole, o modo de encarar as situações do nordestino e cearense especificamente. Eles, realmente não se deixam abater por bobagens. E não se trata de um otimismo falseado. É, antes de tudo, uma defesa dada pela própria natureza, face a tantos obstáculos e desafios regionais, sociais e até culturais, a saber: fatores climáticos, a região quase sempre relegada, esquecida das políticas públicas, benesses e privilégios econômicos concedidos às regiões sulistas, e, até mesmo, pasmem, o racismo . Um cearense ou nordestino quando chega em São Paulo ou Brasília tem a sua identidade alterada, instantaneamente para "Paraíba", "Nortista", "Baiano" etc. Quem já leu "Vidas Secas" ou o "Quinze" - dentre tantas outras obras com a temática nordestina, da seca etc, tem uma dimensão do comportamento peculiar e da força surpreendente desses irmãos brasileiros ! Não se enganem com o jeito manso de falar, o corpo quase sempre arqueado, aparentemente frágil e com os modos nada convencionais, tais como: ficar de cócoras nos lugares, arriar-se em qualquer encosto, deitar-se no chão pra descansar o corpo etc. Ao andarem por um caminho, uma capoeira, ao enxergarem uma cobra pode acreditar que o pulo será bem maior que o da atleta Maurren Maggi.Ou seja, há uma força oculta, implícita em cada um deles. Ah! São modestos, "escondem o ouro", se forem ricos - aqueles indivíduos mais interioranos, tradicionais, não seduzidos pelo mundo tecnológico, pelos ditames do consumismo e suas variantes -, vestem-se como o mais humilde dos seres, além de não são nem um pouco adeptos da filosofia "carpe diem", aproveite o momento. Vivem a acumular provisões, a poupar um dinheirinho, visando sempre o dia de amanhã,um futuro tranquilo. Quem observar nas cidades pequenas, verá que até mesmo os túmulos são construídos antes de se morrer - falo dos que tem condições financeiras para fazê-lo. Em suma, são uma criaturas dignas de todo nosso respeito e consideração. Desculpa tanto texto, Dannie. Abraço.

    ResponderExcluir

Poucas palavras ...