18.12.08

Dos três mal amados


O amor comeu meu nome,

minha identidade,

meu retrato

O amor comeu minha certidão de idade,

minha genealogia,

meu endereço

O amor comeu meus cartões de visita,

o amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome

O amor comeu minhas roupas,

meus lenços

e minhas camisas,

O amor comeu metros e metros de gravatas

O amor comeu a medida de meus ternos,

o número de meus sapatos,

o tamanho de meus chapéus

O amor comeu minha altura,

meu peso,

a cor de meus olhos

e de meus cabelos

O amor comeu minha paz e minha guerra,

meu dia e minha noite,

meu inverno e meu verão

Comeu meu silêncio,

minha dor de cabeça,

meu medo da morte



João Cabral de Melo Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...