9.11.08

Flor do Destino

Te amei assim como água de chuva

Que vai penetrando pra dentro do mundo

Te bebi assim como poço de rua

Que eu olhava dentro mas não via o fundo


Tu me deste um sonho

Eu te trouxe um gosto de tucumã

Tu me deste um beijo

E a gente se amou até de manhã

Veio o sol batendo

E nos despertou

Da gente virando terra, mato,

Galho e flor


Água de riacho é clara e limpinha

Mas às vezes turva com a chuva violenta

Teu amor é um papagaio que xina

Dentro do silêncio da tarde cinzenta

E o amor é um rio

Profundo rio

De muitos sinais

Onde os barcos passam

Conforme o vento deseja e faz

Ai que ainda me lembro

Disso que ficou

Da gente virando terra, mato,

Galho e flor



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poucas palavras ...