22.9.08

Coisas de criança


Para os meus primos Júnior, 22, Leidi, 21, Allan, 18 e Andrei 16. Nós crescemos, mas nossa infância não ficou para trás.


Quando eu era criança bom era brincar na chuva, meter o pé na lama, se equilibrar para não escorregar na tabatinga lisa.

Quando eu era criança sair tocando as folhas de cada ‘dormideira’ no caminho era a obrigação de quem passava por elas. Ruim só quando entrava um espinho no seu dedo.

Quando eu era criança jogar bola na grama verde ou no campinho de barro era um máximo, mesmo que fosse eu e minha prima, contra meu irmão e meus primos. Legal mesmo era quando fazíamos um gol e deixávamos os ‘manes’ sem reação. Não importa se isso era uma coisa rara de acontecer, o importante é que um dia aconteceu.

Quando eu era criança não ligava se para ir pro igarapé tínhamos que nos espremer em um corcel (carro do titio) num banco onde cabiam no máximo cinco crianças, mas que iam sete, oito tirando as que iam no porta-malas. Era engraçado ir cantando para abafar a música chata que saia do toca-fitas ou ainda descer do carro para o titio poder subir a ladeira já que um monte de pirralhos deixavam o carango mais pesado.

Quando era criança só era noite porque o sol tinha ido embora e a luz da lua era o sinal que estava na hora de brincar de jacarandá, boca de forno, adivinha, de contar piadas. O frio determinava a hora de ir pra cama.

Quando eu era criança descer de skate a PA-431 em pleno meio dia não era maluquice, era ser radical, a brincadeira só deixava de ser ‘maneira’ quando uma pedrinha entrava no rolamento do skate e você saia rolando no asfalto,tirando isso era muito divertido.

Quando eu era criança bicicleta não era para no máximo duas pessoas, coitadas das magrelas que carregavam um monte de pirralhos.

Quando eu era criança ao longe você via no horizonte a mata verdinha ... hoje da tristeza de se olhar e ver que o verde já não é tão verde e que o que se vê ao longe é só o cinza, o amarelo a ferida no meio das minhas lembranças.


Essa nostalgia é culpa do Andrei que ontem enquanto tomava soro deitado numa rede na varanda da casa do titio, começou a recordar dos finais de semana que eu passava na casa da vovó lá no Mojuí. Ei caçulinha fica logo bom dessa hepatite, pra irmos ao igarapé.

Um comentário:

  1. que historia fodaaaaaaaaaaaaaa escrev algo sober a mar5chad do 7 de setembroooooooooooooooooooooo

    te adoroooooooooooooo

    ResponderExcluir

Poucas palavras ...